Ao utilizar este website está a concondar com a nossa política de uso de cookies. Para mais informações consulte a nossa política de privacidade e uso de cookies, onde poderá desactivar os mesmos.

OK

25 mortes e mais de 600 infetados é o balanço mais atual do impacto do coronavírus, apresentado hoje pelas autoridades chinesas. A cidade de Wuhan, onde o vírus teve origem, está fechada sendo que a população que lá habita não tem permissão para sair. O risco de o vírus chegar à Europa é moderado, mas a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que sejam tomadas as devidas precauções.

Foram já identificados casos de infeção em 25 províncias e regiões da China e cerca de 6.000 pessoas que tiveram algum tipo de contacto com os indivíduos infetados estão a ser acompanhadas pelas autoridades de saúde chinesas.Os primeiros casos foram reportados em meados de dezembro passado, quando começaram a chegar aos hospitais doentes com pneumonia viral. Todos eles trabalhavam ou visitavam com frequência o mercado de peixe, marisco e carnes de Wuhan. Embora não seja ainda conhecida a verdadeira origem deste vírus, suspeita-se que tenha proveniência nesses animais que são vendidos vivos, o que significa que foi transposta a barreira de transmissão entre animais e humanos. O receio reside agora na possibilidade de haver uma transmissão entre humanos.

Febre, dor, mal-estar geral e dificuldade respiratória são os sintomas do coronavírus que se manifesta como uma pneumonia mais intensa.

Numa altura em que novos casos começam a ser detetados fora da China, nomeadamente em Macau, Coreia do Sul, Japão, Tailândia e Estados Unidos, o Comité de Emergência da Organização Mundial de Saúde (OMS) volta hoje a reunir-se em Genebra, para decidir se declara emergência de saúde pública internacional.

De acordo com o  Centro Europeu de Controlo de Doenças (CECD) o risco de a nova pneumonia chegar à Europa é moderado. No entanto, O CECD sublinha a necessidade de os serviços de saúde dos respetivos países aplicarem medidas de prevenção e controlo adequadas à situação.

Em Portugal, a Diretora-Geral da Saúde afirmou que “não existem casos suspeitos de infeção por coronavírus”, não havendo­­, por isso, uma situação de alarme. Ainda assim, por precaução, foram acionados os dispositivos de saúde pública e estão em alerta os hospitais de S. João, no Porto, o Curry Cabral e o Dona Estefânia, em Lisboa. Foi ainda reforçada a linha Saúde24, através do número 800242424, para triagem de casos suspeitos e para evitar o eventual contágio em centros de saúde e urgências hospitalares.

Consulte AQUI o mais recente comunicado oficial da Direção-Geral da Saúde.

Consulte AQUI informação atualizada da European Respiratory Society (ERS).

Acompanhe as nossas novidades.
Subscreva a Newsletter SPP

subscrever Newsletter

SOCIEDADE PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA | SEDE

 

geral@sppneumologia.pt

 

T. (+351) 217 962 074

F. (+351) 217 962 075

 

Rua Ivone Silva, 6 (Edifício ARCIS), 6º Esquerdo

1069-130 Lisboa

 

Horário de Funcionamento:
- Segunda a Sexta-feira
- 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h30

VER NO MAPA

DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO

 

comunicacao@sppneumologia.pt
 

T. (+351) 926 432 143 
Cátia Jorge
 

T. (+351) 917 434 115
Andreia Pinto

com o apoio de:

Grupo Medinfar
PULMONOLOGY