Este website utiliza cookies. Utilizamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer funcionalidades de redes sociais e analisar o nosso tráfego. Também partilhamos. Para mais informações consulte a nossa política de privacidade.

OK

Os dados da quarta e última vaga do relatório Vacinómetro®, que monitoriza a vacinação contra a gripe durante a época gripal de 2023/24, através de questionários, revelaram que da população incluída nas recomendações da Direção- Geral da Saúde (em vigor no princípio da campanha de vacinação), já terão sido vacinados contra a gripe sazonal desde o início da época 2023/24:

  • 77,7% dos indivíduos com 65 ou mais anos de idade – Portugal terá, assim, ultrapassado para este grupo, a meta de 75% proposta pela Organização Mundial de Saúde (OMS);
  • 76,6% dos indivíduos portadores de doença crónica – sendo que, com a sub-análise realizada, 82,4% das pessoas com diabetes e 76,0% da população com doença cardiovascular já terão sido vacinadas;
  • 79,9% dos indivíduos com 80 ou mais anos de idade já terão sido vacinados;
  • 64,3% dos indivíduos com 60 ou mais anos de idade: sendo que, com a sub-análise realizada, 47,5% vacinou-se por recomendação do médico e 30,7% por iniciativa própria, porque procura estar sempre protegido;
  • 60,8% das grávidas – sendo que 54,5% o fizeram por recomendação do seu médico;
  • 45,9% dos profissionais de saúde em contacto direto com doentes.

De notar também que da população vacinada com 65 ou mais anos de idade, 82,1% é da região Norte, 80,1% da área metropolitana de Lisboa, 77,6% do Algarve, 76,3% do Alentejo, 70,6% da região centro, 69,6% da região autónoma dos Açores e 66,7% da região autónoma da Madeira.

Do total do grupo de indivíduos vacinados, na amostra total estudada, os principais motivos que os levaram a vacinar-se foram:

  • 41,1% por recomendação do médico;
  • 26,0%   vacinou-se   por iniciativa   própria, porque procura sempre estar protegido(a);
  • 18,0% no contexto de uma iniciativa laboral;
  • 7,6% porque sabe que faz parte dos grupos de risco para determinada patologia;
  • 6,0% porque recebeu notificação de agendamento pelo SNS.

Dr. Nuno Jacinto

Presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar

"É com satisfação que se constata que a cobertura vacinal na população com 65 ou mais anos de idade e nos doentes crónicos superou a meta definida pela OMS, na linha do que já havia acontecido nos anos anteriores. Apesar das dificuldades sentidas ao longo desta campanha de vacinação, e da tão falada fadiga vacinal, os resultados obtidos continuam a mostrar a confiança dos portugueses na vacinação."

Prof. Doutor António Morais

Presidente da Sociedade Portuguesa de Pneumologia

"Os números da vacinação em determinados grupos, nomeadamente os doentes crónicos, onde a taxa de vacinação atingiu os 76,6%, são muito positivos! É um sinal de que a população reconhece a importância das medidas de prevenção, em particular da vacinação, e está consciente do verdadeiro impacto que a gripe poderá ter na sua saúde. O facto de menos de metade dos indivíduos entre 60 e 64 anos estarem vacinados diz-nos que, efetivamente, este grupo precisa de ser sensibilizado para a importância da vacinação.”

Desta quarta vaga, podemos ainda aferir que:

  • 15,5% das grávidas não vacinadas apresentam intenção de vacinar-se nesta época gripal;
  • 5,8% das pessoas não vacinadas com 65 ou mais anos de idade tencionam vacinar- se;
  • 5,7% dos doentes crónicos não vacinados apresentam intenção de vacinar-se nesta época gripal;
  • No grupo entre os 60 e os 64 anos, 2,8% das pessoas inquiridas não vacinadas apresentam intenção de o fazer nesta época gripal.

Relativamente à coadministração da Vacina Gripe e COVID, 81,4% das pessoas vacinadas pertencentes aos grupos com recomendação, optou pela coadministração.

No que diz respeito aos motivos que levaram a optar pela coadministração:

  • 87,3% refere “Quero estar protegido/Considero que ambas são importantes para a minha saúde”;
  • 7,4% terá sido por fazer parte dos grupos de risco;
  • 4,9% refere que o médico recomendou a coadministração.

Dadas as recentes recomendações de alargamento da vacinação contra a gripe a partir dos 50 anos de idade estima-se que as taxas de cobertura final possam vir a ser mais elevadas.

De acordo com a Norma nº 006/2023 da DGS, atualizada a 12/01/2024, a vacinação contra a gripe é fortemente recomendada para os grupos prioritários:

  • Pessoas com idade igual ou superior a 50 anos;
  • Doentes crónicos e imunodeprimidos, com 6 ou mais meses de idade;
  • Grávidas, para proteção de evolução grave da gripe durante a gravidez e para proteção dos filhos durante os primeiros meses de vida;
  • Profissionais de saúde e outros prestadores de cuidados;
  • Pessoas incluídas em contextos definidos pela DGS: por exemplo, doentes com determinadas patologias crónicas ou condições(1) como Diabetes, Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica, Doença Cardiovascular, entre outras.

Referências:

  1. Com declaração médica referindo a sua inclusão num destes grupos de risco (DGS - Norma nº 006/2023 de 26/09/2023 atualizada a 12/01/2024)

Acompanhe as nossas novidades.
Subscreva a Newsletter SPP

subscrever Newsletter

com o apoio de:

Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Membro Parceiro de:

ERS
PULMONOLOGY
REAG
INALADORES